sábado, 2 de junho de 2018

O CHIP SERÁ A MARCA DA BESTA?

A ciência da computação a cada dia apresenta novas tecnologias que nos surpreende em todas as áreas. Estamos vivenciando a era da automatização digital, onde as máquinas podem substituir o homem, ou, até mesmo, ser controlado por elas. O chip, por exemplo, é um aparelho que já está sendo implantado na pele humana, e que tem gerado muita polêmica no meio da igreja. Alguns creem que o chip é a marca da Besta, outros, não. Será que o chip é a marca da Besta?
Para responder essa pergunta vamos voltar um pouco no tempo. No final do século XIX foi baixado o decreto de Lei 9.886, que instituiu a obrigatoriedade do registro de nascimento, casamento e a certidão de óbito em serventias cartorárias do Estado, assim, esses registros deixaram de ser uma atribuição da igreja católica. A obrigatoriedade do registro de nascimento foi avaliada por algumas pessoas da época, como a marca da Besta. Se aquelas pessoas vivessem hoje, jamais diriam tal coisa. O mesmo disseram quando surgiu o RG, CPF, o código de barras e o cartão magnético, mas, nada disso é a marca da Besta. Dentre esses documentos o cartão magnético é o único que vem com um chip. Se o chip fosse a marca da Besta, muitos que têm o cartão de crédito, ou mesmo um aparelho celular, já estariam ferrados com o ferro da Besta. Isso não é verdade. O cartão magnético é um dos meios de transações comerciais, e sem ele ninguém opera nos caixas eletrônicos. Todos esses documentos são de grande importância para as pessoas.
Em alguns países o chip já está sendo implantado na pele de animais, e de humanos também. Todos sabem que o controle total é uma tendência mundial, mas, o micro aparelho, o chip, ainda não é a marca da Besta. É no chip onde serão armazenados todos os dados dos documentos acima, com certeza irá facilitar a identificação das pessoas com mais rapidez, além de ser mais seguro. Portando o chip implantado na mão ou na testa não é em hipótese alguma a marca da Besta. E agora, como identificar a marca da Besta?
Segundo a Bíblia a marca da Besta é um número ou código a ser implantado na mão ou na testa. É lógico que para gravar tal código, é necessário um aparelho apropriado, e coincidentemente, ou não, será gravado no próprio chip. Todas as pessoas serão obrigadas a receberem tal código, que será informado pelo governo mundial, o qual deverá ser transferido para o chip. A pessoa que não o aceitar, não poderá fazer nenhuma transação comercial. Aliás, isso já acontece com os que têm cartão de crédito/débito, a diferença é que esses não têm o número da besta. Não nos preocupemos com essas coisas, isso só acontecerá na grande tribulação. Nesse período a Igreja não estará mais aqui. O que devemos fazer? Andar em santificação, se quisermos ser arrebatados, e ficar livre dessas coisas. A grande tribulação será um período de sete anos, onde todas as pessoas, isto é, as que não forem arrebatadas, enfrentarão o regime do governo do anticristo. É como eu já disse: todos serão obrigados a aceitarem a marca ou o código da Besta. Segundo a Bíblia, durante esse período os piores demônios, aqueles que estão presos até hoje, serão soltos sobre a terra, e causarão coisas terríveis. Ora, se os “bonzinhos” causam coisas horríveis, imagine os piores!

Amigo, os sinais mostram que Cristo breve voltará para arrebatar a sua igreja. Portanto, apegue-se a Ele agora enquanto há tempo, diz o profeta Isaías: "buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-O enquanto está perto" (Is 55.6). Que Deus nos guarde em Cristo. Amém.
          Miss. Clésio Araújo


Nenhum comentário:

Postar um comentário